Artistas e tutora do Lab Música 2018 falam sobre projeto Cenas de Ópera nesta sexta-feira (18)

O reencontro será em live do Afluentes. Proposta artística reunia peças de ópera de diferentes períodos e compositores

Os cantores Antônio Souza, Liana Fonteles e Giorgi Gelashvili, do projeto Cenas de Ópera, realizado no Laboratório de Música em 2018 no Porto Iracema das Artes, participam nesta sexta-feira (18) da live Afluentes Música. Eles vão conversar sobre o percurso formativo e os processos criativos desenvolvidos na Escola, sob tutoria da cantora, atriz e bailarina Doriana Mendes e com a colaboração da também atriz, cantora e compositora Marta Aurélia. A transmissão ao vivo do bate-papo acontece às 15h pelo Facebook e YouTube.

Pesquisa voltada a aperfeiçoar habilidades ligadas à produção operística, integrando as linguagens da música, do teatro e da dança, o Cenas de Ópera propôs uma criação artística com a montagem de peças de concerto de diferentes períodos históricos e compositores. Com o intuito de criar momentos de apreciação da arte de câmara, as apresentações foram pensadas para teatros e espaços não convencionais. A primeira encenação pública da peça foi na VI Mostra de Artes do Porto Iracema (MOPI), realizada no Teatro da CAIXA Cultural, em dezembro de 2018. No palco, um encontro entre repertórios: de clássicos como Mozart, Verdi, Puccini ao cearense Tarcísio José de Lima.

“Um espetáculo memorável, inusitado, de grande beleza cênica” é como descreve Mona Gadelha, coordenadora do Laboratório de Música, que estará na mediação da live, lembrando o êxito do trabalho de orientação da tutora Doriana Mendes. Ela destaca, ainda, a oficina de Canto Lírico realizada pelos próprios artistas do projeto, que agregou outros interessados ao percurso de aprendizagem.

Promovendo reencontros entre artistas-pesquisadores, tutores, professores e alunes que passaram pelos diversos percursos formativos da Porto Iracema das Artes, o Afluentes é mais uma programação virtual criada no contexto de isolamento social.

Sobre os convidados

Antonio Souza, contratenor

Foto: Tiago Cruz

Licenciado em Música pela Universidade Federal do Ceará (2010), Antonio Souza intensificou seus estudos nos Estados Unidos, onde recebeu o título de Mestre em Música com ênfase em Performance Vocal pela Universidade do Wisconsin-Madison (2016). Nesta instituição recebeu bolsa de estudos integral (Wisconsin Voice Excellence Fellowship), recebeu o prêmio Hein Jung Award for Opera e trabalhou como Teaching Assistant of Voice, ministrando disciplinas de canto para alunos da graduação. Além disso, em 2016, foi bolsista da Fundação Beto Studart de Incentivo ao Talento e em 2018 foi selecionado para o Laboratório de Música da Escola Porto Iracema das Artes, onde desenvolveu o projeto Cenas de Ópera. Fez cursos na The Total Vocal Freedom Academmy for Singers, que tem a Técnica de Alexander como base. Ele possui experiência com repertório erudito e popular. Apresentou-se no Brasil, nos Estados Unidos, no México e na Europa. Também participou de festivais internacionais como: Festival de Ópera de Oaxaca (México), Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival Internacional de Música de Campina Grande e Festival de Música de Londrina. Tem atuado como orientador vocal desde 2008 e entende que uma abordagem técnica saudável – baseada no uso adequado dos ressonadores em conjunto com suporte e controle respiratórios balanceados – permite explorar gêneros musicais diversos. Acredita que cantar é uma extensão da voz falada e que a conexão entre as duas pode tornar o desenvolvimento vocal mais espontâneo. Ademais, tem adotado em sua metodologia conceitos da Técnica de Alexander em prol de uma performance expressiva, com boa coordenação corporal e livre de tensões desnecessárias. É sócio proprietário do Plugar – Espaço Musical, fundado em 2019, que oferece aulas de música além de outros serviços na área de produção musical.

Doriana Mendes

Cantora, Atriz-Bailarina. Doutora e Mestre em Música e Bacharel em Canto é professora de Canto na UNIRIO na graduação desde 2013 e na pós-graduação desde 2018. Atuou como presidente da Comissão Organizadora do VI SIMPOM online 2020, simpósio internacional de pós-graduandos do programa de pós-graduação em Música da UNIRIO que ocorreu agora em novembro. Faz parte do grupo de pesquisa Artes do Movimento, vinculado ao CNPq. Dedica-se à pesquisa AudioVox que lançará um catálogo online da produção de música eletroacústica mista brasileira dos últimos 30 anos. Fez sua estreia internacional no Teatro de Darmstadt cantando uma ópera de Jocy de Oliveira. Estreou em 2019 a ópera multimidia “Helena y su ventríloquo” do compositor Daniel Quaranta no Festival MUSLAB (México- DF) e também no XV Festival Visiones Sonoras, em Morelia, México. Em 2016 protagonizou a estreia da ópera Medeia de Mario Ferraro na 1ª edição da Bienal de Ópera Atual, pela FUNARTE. Solista do Abstrai Ensemble dedicado à música contemporânea e do Codex Sanctissima especializado em música medieval. Apresentou-se na Alemanha, França, Irlanda, Portugal, Chile, Bolívia, Argentina, México e em todos os Estados do Brasil, na tournée Sonora Brasil-SESC (2011-2012). Intérprete expressiva tem realizado inúmeras estreias mundiais como solista convidada de festivais nacionais e internacionais, e também de elencos de óperas, musicais, peças de teatro e de dança.

Liana Fonteles

Licenciou-se em música pela Universidade Estadual do Ceará, estudou canto lírico na Accademia Lirica Mario Binci, Itália. Teve aulas com importantes nomes da ópera, como o diretor cênico Stefano Viziolli, e os cantores Johannes Martin Kränzl, Carlo Colombarae Cynthia Lawrense. No Brasil foi aluna de Luciana Melamed, Hamilton Carvalho e Kátia Santana. Foi professora do curso de Licenciatura em Música da UECE, 2015 – 2017, e do curso de Extensão em Música do CCBJ. Participou do Ópera Studio de Recife, Oficina de Música de Curitiba, Curso Internacional de Verão de Brasília, Encontro de Canto Lírico de Natal e Festival Eleazar de Carvalho, no qual recebeu o premio Jovens Solistas. No palco deu vida a personagens como Vallenciene (Opereta A Viúva Alegre), Cleópatra (Giulio Cesare) de Haendel, Donna Elvira (Don Giovanni) de Mozart, Mimi (La Bohème) de Puccini eMarguerite (Faust) de Gounod. Realizou projetos como Cenas de Óperas, na Escola Porto Iracema das Artes e o recital Due Cuori que foi apresentado em diversos centros culturais e festivais em Fortaleza. Participou do curta metragem “Além da Jornada”, sob direção de Victor Furtado e Gabriel Silveira, e do documentário Alberto Nepomuceno – Vida, Música e Nacionalismo, para TV Assembleia. Além de seu trabalho como solista, também integrou o Coro Feminino Collegium Cantorum, em Curitiba.

Giorgi Gelashvili

Bacharel e mestre em canto lírico pelo Conservatório Estadual de Tbilisi, orientado pelo maestro Nodar Andguladze. Começou seus estudos musicais na Escola de música Z.Anjafaridze, e integrou o “Ensenble Bichebi”, famoso coro infanto-juvenil georgiano. Ainda na Geórgia integrou o Coro Lírico do Teatro de Ópera de Tbilisi, foi contemplado com a bolsa de estudos “Maia Tomadze” e premiado no concurso ”Lado Ataneli”. Na Itália integrou a “Accademia Lirica M.Binci”, ademais, teve aulas com a destacada soprano brasileira Eliane Coelho, o diretor italiano Stefano Viziolli e a soprano americana Cynthia Lawrense. Sua experiência como solista em Ópera na Geórgia e Itália inclui papéis como (Un ballo in maschera – G. Verdi), Alfredo (L a Traviat – G.Verdi) e Ernesto (Don Pasquale – G. Donizetti). Residente no Brasil desde 2015 atua como professor de canto, realizou projetos como Cenas de Óperas, na Escola Porto Iracema das Artes, o recital Due Cuori que foi apresentado emcentros culturais e festivais em Fortaleza e apresenta-se em concertos acompanhados por piano e orquestras com repertório que inclui Verdi, Puccini, Tchaikovsk, Bizet, entre outros.

Marta Aurélia

Marta Aurélia é cantora, atriz, compositora, e flerta com a performance e a arte sonora através de seus estudos com o corpo e a voz, que tem sido instrumentos centrais na sua trajetória artística e profissional. Para incrementar sua investigação, tem participado de muitos cursos de voz/corpo com profissionais diversos, além de ministrar residências e cursos numa perspectiva em que o autoconhecimento se torna fundamental para a vida, para os processos de criação artística, com ênfase na construção da voz feminina. O curso de Especialização em Teorias da Comunicação e da Imagem (UFC) e o Laboratório de Investigação, Corpo, Comunicação e Arte – LICCA (em rápida passagem), coordenado pelo Professor e performer Francisco Wellington Jr., do grupo (de performance) Balbucio, lhe ampliaram a visão acerca das várias dimensões do uso da voz, trazendo uma maior clareza sobre sua dimensão discursiva. Desde os anos 1980 transitando entre a comunicação e arte, Marta decidiu focar exclusivamente em suas atividades artísticas ao aposentar-se, em 2015, como locutora (e produtora) da Rádio Universitária FM, da Universidade Federal do Ceará, onde migrou de Letras para Comunicação Social, formando-se como jornalista.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O que: Artistas e tutora do Lab Música 2018 falam sobre o projeto Cenas de Ópera nesta sexta-feira (18)
Quando: sexta-feira, 18 de dezembro, às 15h
Onde assistir: Facebook e canal do YouTube do Porto Iracema das Artes

 

Equipe de Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes | Texto: Pedro Victor Lacerda (estagiário) | Supervisão e edição: Raphaelle Batista

Publicado em 15/12/2020