Com artistas e tutora, projeto Deambulando é relembrado em próxima edição do Afluentes Artes Visuais

Projeto integrou segundo ano do Lab Artes Visuais e compõe a programação “Sete Mares do Porto” na próxima quarta-feira (26)

Reflexões e desdobramentos a partir de rituais do cotidiano são alguns dos elementos que compõem o projeto Deambulando, pesquisa artística que é tema do próximo Afluentes Artes Visuais, do Porto Iracema das Artes. O bate-papo online integra a programação de aniversário da Escola e tem como convidados o artista visual Junior Pimenta, a curadora e pesquisadora Ana Cecília Soares e a crítica de arte e curadora Marisa Flórido Cesar. A live acontece no Canal do YouTube e no Facebook do Porto, na próxima quarta-feira (26), às 15h.

Tendo participado do Laboratório de Artes Visuais do Porto (2014), o projeto dava continuidade à pesquisa anterior sobre o ato de caminhar, abordando também a experiência de vida como um ato performativo e as relações entre corpo e mundo, aspectos da obra que será relembrada no bate-papo. A autoria do projeto é de Junior Pimenta e Ana Cecília, que passaram por tutoria de Marisa Flórido. Aline Albuquerque, coordenadora do Lab Artes Visuais, estará na mediação da live.

Passando por mudanças em seu processo que enquadrou outros seres e seus percursos, do artista, das outras pessoas e dos animais, a investigação artística resultou na exposição “Descaminhos”, que passou pela segunda Mostra de Artes do Porto Iracema (MOPI), no Museu de Arte Contemporânea (MAC), no Centro Dragão do Mar (Fortaleza-Ce).

O Afluentes é uma ação online do Porto Iracema das Artes para o período de isolamento social em decorrência da pandemia de Covid-19, que propõe reencontros entre artistas e pesquisadores que integraram os Programas como tutores, professores e ex-alunos. Esta edição integra a programação Sete Mares do Porto, que celebra o aniversário de 7 anos da Escola.

Sobre o projeto Deambulando

O projeto Deambulando consistia inicialmente em dar continuidade a uma pesquisa sobre o ato de caminhar. A partir de rituais cotidianos, pensar a relação do corpo e mundo, arte e vida, a experiência na vida como ato performativo. A pesquisa foi marcada por embasamento teórico e experimentação. Durante o processo ela tomou outros caminhos e teve na exposição de encerramento de processo, o nome Descaminho, inclusive não focando no caminhar apenas do artista, mas trazendo também percursos e de outras pessoas e animais.

Sobre os convidados

Junior Pimenta

Júnior Pimenta é artista visual, vive e trabalha entre Fortaleza e Belo Horizonte, Brasil, Mestre em artes, pelo PPGArtes da Universidade Federal do Ceará, com orientação de Moacir dos Anjos, onde realizou pesquisa sobre crise de representação, pertencimento e estratégias artísticas em tempos sombrios. Pimenta realizou três exposições individuais: Em 2013, Âmago, Sala Nordeste-FUNARTE, Recife-PE; Estação Cabo Branco, João Pessoa-PB; Centro cultural Banco do Nordeste, Fortaleza-CE. Com curadoria de Ana Cecília Soares. Em 2014, Descaminhos, no Museu de arte contemporânea, Dragão do Mar, Fortaleza-CE, curadoria de Marisa Flórido Cesar. Em 2018, Vá em Frente, volte pra casa!, na Sem Título Arte, Fortaleza-CE; Centro Cultural Banco do Nordeste Cariri, Juazeiro do Norte-CE, com curadoria de Marcelo Amorim. Em 2019 a exposição Vá em frente, volte pra casa! seguiu para o Centro Cultural São Paulo-SP. O artista possui obras em acervo das seguintes coleções públicas: Museu de Arte contemporânea do Ceará – Dragão do Mar; Centro Cultural Banco do Nordeste; Coleção da cidade do Centro Cultural São Paulo; Coleção da Prefeitura de Fortaleza, É editor da revista reticências…, também compõe o conselho editorial das revistas Arte ConTexto, de Porto Alegre e Canguru de Curitiba. Pimenta participou de alguns laboratórios de artista, entre eles o Laboratório de artes visuais do Porto Iracema das artes, em Fortaleza -CE, com acompanhamento crítico de Marisa Florido. Além de desenvolver projetos curatoriais, editoriais e educacionais; pensando sempre todas suas atividades, como maneira de contaminação e entrecruzamento de pensamentos, gerando um processo indissociado na construção de sua poética.

Ana Cecília Soares

Ana Cecília Soares vive entre Fortaleza e Belo Horizonte, é curadora, jornalista, pesquisadora e editora da Revista Reticências. Mestre em Artes pelo PPGARTES/ ICA da Universidade Federal do Ceará. Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, na linha de pesquisa em Artes Plásticas, Visuais e Interartes . É uma das organizadoras do livro O silêncio das coisas: Herbert Rolim; da Coleção Arte Ceará da qual é uma das coordenadoras. Atualmente, dedica-se a produção de duas edições da Revista Reticências a serem lançadas no segundo semestre de 2020. Além de coordenar o projeto editorial da coleção Arte Sesc Confluências.

Marisa Flórido Cesar

Crítica de arte e curadora independente, Prof adjunta do Instituto de Arte da UERJ. Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais pela Escola de Belas-Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui textos sobre artes visuais em livros, revistas de arte, catálogos e periódicos no Brasil e no exterior. Entre os livros publicados, estão: “Nós, o outro, o distante na arte contemporânea brasileira” [Circuito, 2014]; “Ana Vitória Mussi” [organização e texto; Apicuri, 2013]; Como curadora independente, entre outras exposições: “Inventario de los Gestos” [in FAAC – Festival Internacional de Arte de Acción, Cuenca / Equador, 2015] “Transperformance 2 [Oi Futuro Flamengo RJ, 2012] ; “Bang” -Ana Vitória Mussi [Oi Futuro Flamengo RJ, 2012] ; “Sonia Andrade: Retrospectiva 1974-93” [Centro de Arte Hélio Oiticica, RJ, 2011]; Décima Bienal Habana – Integración y resistencia en la era global [curadora consultante – Havana, Cuba, 2009]; exposições “Arte e Música” [Caixa Cultural, DF, SP e RJ 2008 ]. Foi crítica de arte no jornal O Globo (entre 2010 e 2013), no Jornal do Brasil (de 2004 a 2005) e na Revista Isto é.

Sobre a mediadora

Aline Albuquerque

Aline Albuquerque é educadora e artista visual, formada em Artes Plásticas pela UNICAMP, mestre em Artes pela Universidade Federal do Ceará, pesquisadora do LAMUR – Laboratório de Artes e Micropolíticas da UFC.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O que: Com artistas integrantes e tutora, projeto Deambulando é relembrado em próxima edição do Afluentes Artes Visuais
Quando: quarta-feira (26), às 15h
Onde acessar: Facebook e YouTube do Porto Iracema

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Pedro Victor Lacerda
Publicado em 20/08/2020