Encerramento do III SIRIM “Alberto Nepomuceno em foco” discute música e tradição com mestres da cantoria nordestina

Geraldo Amâncio, Guilherme de Almeida Nobre, Elba Braga Ramalho e Gilmar de Carvalho participam do quinto e último encontro, que segue com transmissão ao vivo no Facebook e no YouTube da Escola

O encerramento do ciclo “Alberto Nepomuceno em foco”, do III SIRIM – Simpósio de Regência e Interpretação Musical, será na noite da próxima segunda-feira, 14. Este quinto encontro virtual debate a temática “Aspectos da tradição em Nepomuceno e a cantoria nordestina” com o Mestre da Cultura, poeta e repentista cearense Geraldo Amâncio, o poeta e cordelista Geraldo de Almeida Nobre e a professora Elba Braga Ramalho.

A live segue no Facebook e no YouTube do Porto Iracema das Artes, às 20h. Na mediação, o jornalista e pesquisador Gilmar de Carvalho.

Mestre da Cantoria Nordestina, Geraldo Amâncio tem extensas contribuições nacionais e internacionais na tradição de repentistas e trovadores, dividindo o momento com o também compositor, cordelista e palestrante Guilherme de Almeida Nobre, que integrou pesquisas sobre o resgate do repente nordestino, além de assinar inúmeras obras de diversas mídias das culturas populares. Compondo a comissão que realiza a curadoria do evento, a professora Elba Braga Ramalho traz para o evento toda a sua pesquisa dedicada à Cantoria Nordestina, à música de tradição oral e à obra de Luiz Gonzaga. Já o professor e pesquisador Gilmar de Carvalho publicou, dentre as 50 obras de sua autoria, “Tirinete – Rabecas da Tradição”, junto do fotógrafo Francisco Sousa, livro sobre música e cultura popular, resultado de uma pesquisa de 15 anos com histórias de rabequeiros e luthiers.

Também nesse último encontro, a cantora Anna Maria Kieffer lança nova edição de álbum dedicada ao compositor cearense, Alberto Nepomuceno – Canções, em que é acompanhada ao piano por Achille Picchi.

O evento

O Simpósio, dedicado a homenagear o maestro cearense Alberto Nepomuceno no centenário de sua morte, ocorre em parceria com o grupo de pesquisa IRIM – Investigação em Regência e Interpretação Musical (Uece/CNPq). O evento inteiramente virtual busca resgatar e divulgar a obra do compositor, considerado um dos maiores do Brasil, e integra a programação especial “Ano Alberto Nepomuceno”.

Desde agosto reunindo artistas-pesquisadores com trajetórias reconhecidas nacional e internacionalmente, que se dedicam aos estudos e à difusão da música de câmara, o III SIRIM já realizou quatro encontros virtuais, que estão disponíveis no canal do YouTube da Escola. No primeiro mês, aconteceu a mesa redonda “Modinha e as canções de Nepomuceno”, seguida do tema “Aspectos da obra instrumental de Alberto Nepomuceno” no mês de setembro, “Alberto Nepomuceno: entre a História e a Ficção” em outubro, e “A modernidade em Nepomuceno” no último mês.

Curadoria

Toda a programação tem curadoria de uma comissão formada pelos músicos e pesquisadores Elba Braga Ramalho, Gilmar de Carvalho, Inez Martins Gonçalves, Anna Maria Kieffer e Marcio Landi. Além do Porto Iracema das Artes, o evento conta, ainda, com a parceria da Universidade Estadual do Ceará e do Curso de Música da UECE.

Sobre os convidados de dezembro

Geraldo Amâncio

De cantar eu tinha planos
E entrei nesse teatro
No ano 64 tinha dezessete anos.
Deixei meus pais, deixei manos,
Deixei tudo o que é parente.
Estou somando atualmente,
Depois dessa despedida,
Setenta anos de vida cinquenta e dois de repente.
Deixei minha parentela
Quando fui me despedir
Senti meu pranto cair
Hora triste, foi aquela.
Pai choroso na janela,
Mãe chorando no batente
Ainda hoje eu vivo ausente
Daquela casa querida.
Setenta anos de vida
Cinquenta e dois de repente.
Meu pai Antonio Pereira,
A minha mãe foi Ecy,
Nascidos no Cariri
Em Lavras da Mangabeira.
Maria preta a parteira
Que se chamava (assistente),
Me pegou ficou contente,
Profetizou em seguida:
Setenta anos de vida
Cinquenta e dois de repente.
Ceará é meu Estado,
Afirmo desde o princípio,
Cedro é o meu município,
Lugar em que fui criado.
O meu rio é o salgado, que se chover bota enchente.
Eu ainda adolescente
Dessa terra fiz partida.
Setenta anos de vida
Cinquenta e dois de repente.

Guilherme de Almeida Nobre

Guilherme de Almeida Nobre é poeta, repentista, compositor, cordelista e palestrante. Iniciou sua carreira aos 14 anos de idade, e tem feito parceria com os principais nomes da Cantoria Nordestina, como Geraldo Amancio, Moacir Laurentino, Antonio Jocélio e muitos outros. Participou de alguns eventos de Arte, Literatura e Cultura do país, entre eles “II e III Feira do Cordel Brasileiro”, “Encontro Mestres do Mundo”, “XII Bienal do Livro do Estado do Ceará”, “25ª Bienal internacional do Livro de São Paulo” Representou o Brasil em dois encontros mundiais de poetas improvisadores, no norte de Portugal. Fez parte de documentários e pesquisas sobre a história e o resgate do repente nordestino, além de levar a cantoria de viola para programas de TV e de Rádio. Ministrou palestras sobre Cantoria na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Conduziu oficinas de formação de professores para o uso do cordel em sala de aula. É autor de mais de 10 obras em cordel, gravou 4 CDs e 3 DVDs. Foi o vencedor do “III Festival Alunos que Inspiram” da Rede Estadual de Ensino do Estado do Ceará, na categoria cordel. Além de profissional da cultura popular, é graduando em letras pela UECE.

Elba Braga Ramalho

Elba Braga Ramalho é graduada em Canto Orfeônico pelo Conservatório Nacional de Canto Orfêonico, Bacharel em Piano pela Universidade Estadual do Ceará, Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará, PhD em Musicologia pela Universidade de Liverpool. Realizou estágio pós-doutoral na Universidade Federal de Santa Catarina. É professora Titular aposentada da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Em sua atividade profissional, dedicou-se ao ensino de Teoria e Filosofia da Música. Como pesquisadora, lida com música de tradição oral, especialmente a Cantoria Nordestina e a obra de Luiz Gonzaga, publicando dois livros sobre os temas. É componente da Comissão Organizadora das celebrações do Centenário de falecimento de Alberto Nepomuceno no Ceará para 2020.

Gilmar de Carvalho

Gilmar de Carvalho é jornalista. Graduado em Comunicação Social pela UFC (1972). Mestre em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (1991). Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo (1998). Foi professor da UFC, de 1984 a 2010. Integrou os programas de Pós-Graduação da Sociologia, da História e da Comunicação Social da UFC, tendo orientado dissertações. Prêmio Sílvio Romero, em 1998, com sua tese de doutorado, publicada com o título de “Madeira Matriz” (SP, Annablume, 1999). Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do IPHAN, em 2014, em parceria com Francisco Sousa, com a pesquisa “Rabecas da Tradição”. Medalha Mário de Andrade, pelos 80 anos do IPHAN, em 2017. Autor de mais de 50 livros. Tem artigos em revistas acadêmicas publicadas no Brasil e no exterior. Seu interesse é na pesquisa e atuação na área das relações da Comunicação com as culturas.

Serviço

O que: Encerramento do III SIRIM “Alberto Nepomuceno em foco” discute música e tradição com mestres da Cantoria Nordestina
Quando: segunda-feira, 14 de dezembro, 20h
Onde assistir: Facebook e canal do YouTube do Porto Iracema das Artes

Equipe de Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes | Texto: Pedro Victor Lacerda (estagiário) | Supervisão e edição: Raphaelle Batista

Publicado em 08/12/2020