Ex-Lab Música 2019, cantor e compositor Zéis lança novo álbum nesta quarta-feira (22)

Foto: Freddy Costa

“Caim” está disponível em todas as plataformas digitais e traz referências da música folk com fortes traços de indie rock

Partir do fim para falar de um novo começo: é isso o que faz o cantor e compositor cearense Zéis em seu novo álbum, lançado nesta quarta-feira, 22 de abril, nas plataformas digitais — OUÇA AGORA!. Zéis participou do Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes, em 2019, no projeto “Um corpo sem voz em busca de voz”, da cantora Luiza Nobel.

Em “Caim”, cujo título é inspirado na parábola bíblica, o artista reflete sobre o conceito da morte como fim e possível recomeço em outro plano. Outra inspiração é o livro de mesmo título do autor português José Saramago. “No livro, Caim viaja por diferentes lugares e temporalidades, então se depara com vários eventos da história da humanidade e vai questionando o papel que Deus exerce nesses eventos. Dessa ideia de viagem no tempo pensei que eu poderia fazer uma viagem por ritmos, musicalidades que queria reconstruir, trazer de novo. Trouxe então o rock que eu tinha ouvido muito na adolescência e que já não produzia mais nessa estética. Fiz, então, a minha viagem no tempo, nas minhas referências”, conta o artista.

Ilustração de Renata Froan.

Ao longo das 11 faixas, o disco mostra o artista em toda a sua versatilidade como instrumentista, apostando no rock e na música folk. As letras refletem acerca de questões sobre ruptura e enfrentamento, principalmente nas canções “Caim”, “Verborreia Genial” e “Na Contramão”. Há também um forte teor espiritual nas canções “Mederi”, “A Balsa” e “O que nos mata”.

A nostalgia se apresenta como tema de “Tudo que não presta mais” e na melancólica faixa instrumental “Na sua ausência”. Mas, certamente, o fim é a temática mais presente no disco, sendo explorada em “Pra curar”, “Aquela que te fez mudar”, que tratam sobre término de relacionamento, e “Em vão”.

“As músicas do disco, de modo geral, tratam do fim, mas trago três dimensões dessa questão: uma dimensão pessoal, que envolve as relações amorosas ou não, as relações interpessoais. Trago uma dimensão do mundo, por uma perspectiva social. E trago a dimensão de um outro plano, um plano espiritual, a partir da qual falo da morte, da figura de Deus. Enfim, todas essas dimensões discutidas a partir dessa ideia do fim, que na parábola de Caim é representada pela morte”, explica Zéis.

Trabalho em equipe 

O disco foi gravado entre novembro de 2018 e julho de 2019, em home studio usando equipamentos do próprio artista, com exceção das baterias, que foram gravadas no Comu Studio. Além da produção musical, Zéis assina também todas as composições do disco. Artur Guidugli é co-produtor e também responsável pela captação e edição de áudio.

Além de Zéis tocando guitarra, gaita, banjo, piano, baixo e violão, e de Artur Guidugli tocando bateria, percussão, sintetizadores e piano, o álbum conta com a presença de Tiego Martin, tocando guitarra. Titi, do Comu Studio, é responsável pela mixagem e masterização. O trabalho conta ainda com o projeto gráfico da artista visual Renata Froan.

Sobre Zéis

Foto: Freddy Costa

Zéis é artista da cena contemporânea cearense. Cantor, compositor e ator, esteve a frente da banda Capotes Pretos na Terra Marfim onde lançaram o EP “A Casa” (2013) e o álbum “Capotes Pretos na Terra Marfim” (2015) além de participar dos principais festivais cearenses da música independente. Em 2017 lançou o álbum solo “De Preto em Blue”, com boa repercussão da imprensa local e crítica especializada. Em 2018 lançou o álbum “Sessões Acústicas”, o disco já ultrapassou a marca de 80 mil streams no Spotify. Dirige atualmente o show Baile Preto da cantora cearense Luiza Nobel, com quem integrou em 2019 o laboratório de criações do Porto Iracema das Artes com tutoria da artista Mahmundi. Em 2020, lança “Caim”, assinando todas as composições bem como a produção. Zéis é também atuante na cena teatral. Compôs mais de 10 espetáculos, assumindo sempre papel importante nas criações e direcionamentos da sonoplastia. Destacam-se seus direcionamentos nos espetáculos “Arragaia”, “Devorando Heróis” e “Tempo Temporão”, além de suas contribuições na concepção das sonoplastias de “Îandé Tekoha”, “Orlando” e “A menina dos brincos de ouro”.

Ficha Técnica

Produzido por Zéis
Co-produzido por Artur Guidugli
Gravada em 2019 no Fora da Gaiola
Mixada e Masterizada por Titi no Comu Studio
Projeto gráfico por Renata Froan
Fotos Divulgação: Freddy Costa

Músicos participantes
Zéis: voz, guitarra, gaita, banjo, piano, baixo e violão
Artur Guidugli: bateria, percussão, sintetizadores e piano
Tiego Martin: guitarra

SERVIÇO

O que: Ex-Lab Música 2019, cantor e compositor Zéis lança novo álbum nesta quarta-feira (22)
Onde: Spotify, iTunes, Deezer e Youtube.

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Publicado em 22/04/2020