Porto Iracema das Artes inicia o Rotas de Criação da Temporada Formativa das Artes Visuais

Série de apresentações acontece no Auditório do Porto, de 21 a 25 de outubro, das 18h às 21h, e tem acesso gratuito

De 21 a 25 de outubro, o Porto Iracema das Artes inicia o Rotas de Criação da Temporada Formativa do Laboratório de Artes Visuais. De junho a dezembro de 2019, 29 artistas-pesquisadores participam de módulos temáticos relacionados ao campo das Artes Visuais. Ao longo desses meses, e no contato com os diferentes mediadores, desejamos que os conteúdos partilhados contribuam para a formação dos participantes, assim como acreditamos que o convívio com o coletivo também se constitua uma esfera de formação.

Ao longo da próxima semana, cinco grupos de seis artistas vão partilhar suas trajetórias artísticas, no Auditório do Porto, sempre das 18h às 21h, com acesso gratuito. Ao final das apresentações, haverá momento de conversa e considerações dos colegas e do público. A natureza heterogênea do grupo aponta para diferentes caminhos e paisagens que compõem o vasto campo das artes visuais, assegurando que a aventura será rica e surpreendente.

Sobre os artistas:

Ana Paula Vieira
Pesquisadora e realizadora. Graduada em Cinema e Audiovisual pela UFC e mestranda em Artes (PPGArtes ICA|UFC). É integrante do LAMUR – Laboratório de Artes e Micropolíticas Urbanas e do Laboratório de Artes Visuais do Porto Iracema das Artes. Atualmente, é coordenadora do projeto de formação audiovisual Cinema no Brejo.

Bárbara de Moira
Ex-futura bióloga que não aguentou o não ser artista. Experimenta o fazer artístico através da fotografia, da performance, do bordado e da instalação; tensionando questões de gênero, afetividades e violência.

Beatriz Gurgel
Artista etc, pesquisa o corpo e a si própria. É recorrente a investigação do sentir, o uso da linha, da palavra e da cor vermelha. Estudante do curso de Licenciatura em Artes Visuais, faz parte do coletivo Ateliê Migratório e participou de exposições coletivas como Mulher Vírgula, Fruto Nosso e 68° Salão de Abril e outras.

Beatriz Benitez
Artista visual, fotógrafa e atriz. Graduada em Cinema e Audiovisual pela UFC. Nas Artes Visuais, sua pesquisa se dá no litoral da cidade Fortaleza, onde se inquieta com questões referentes ao mar, à água, ao corpo, à gentrificação, ao avanço da especulação imobiliária. Atua como fotógrafa freelancer e integra o Coletivo Abarrua.

Carliane Menezes
Professora de Filosofia, zineira e performeira. Capitu. Pesquisa anarquismo e nova pornografia. Usa @ zine na escola como um recurso pedagógico sem gênero, sem diagramação e marginalizado. Na rua usa a xerox d@ zine como lambe com intervenções com público e sem câmera. Não vende zines.

Charles Lessa
Artista visual e artesão caririense. Desenvolve experimentações plásticas sobre universo simbólico. Dedica-se às artes feitas com as mãos, modelagem, desenho e pintura com desdobramentos na arte urbana. Interessa-se pela artesania nas artes visuais e localiza-se na simbiose entre arte popular e arte contemporânea.

Daniel Neves
Designer e artista visual. Tem pesquisa em torno dos deslocamentos urbanos, tendo como expressão desenho, pintura digital e dança. Tem uma relação de luta cicloativista/modos de deslocamentos ativos. Iniciando em Dança Contemporânea, compõe atualmente a terceira turma do CIDC PRODANÇA.Também integra o grupo de estudos Local, sobre a tutoria de Waleria Américo.

David Felício
Historiador, graduado pela UFC, professor da rede estadual de educação em Fortaleza, pesquisador e artista visual. Desenvolve, em artes visuais, junto com Jorge Silvestre, uma pesquisa acerca dos usos e das transformações de fontes históricas na trajetória dos negros no Ceará, pensando como a manipulação das narrativas, individuais e coletivas e a manifestação de outras sensibilidades podem ajudar a repensar essa história.

Delano Gurgel Queiroz
Artista visual com início no Cinema, busca tensionar os limites postos entre cinema e outras linguagens audiovisuais, além de estar interessado em pesquisar as mais diferentes possibilidades de quebrar o formato de tela da exposição audiovisual. Possui curtas autorais e é diretor da série audiovisual “Arte Circunstância”, aprovado no Edital das Artes SecultFor em 2018.

Gabi Trindade
Artista visual, realizadora e diretora de fotografia. Pesquisa os processos criativos da Dança e do Teatro em confluência com a produção no audiovisual. É formada na 4° turma de Realização em Audiovisual da Vila das Artes. Integrante da coletiva Subterrânea, que desenvolve processos abordando gênero e sexualidade.

Jean dos Anjos
Artista, pesquisador, fotógrafo e antropólogo. É mestre em antropologia pela UFC/Unilab. Atua, principalmente, fotografando festas religiosas da umbanda cearense, com interesse especial por corpos em transe. Realizou as exposições individuais “O Céu de Iemanjá” e “Cartas para Iemanjá”. Foi premiado no 67º Salão de Abril, em 2016, com a obra “Ela é bonita, Ela é mulher”.

Jefferson Skorupski / (Madalena/CE)
Artista da performance arte, besha-negrx-periféricx-sertanejx artivista, críticx e pesquisadorx da política e do social, sua poética resiste à meritocracia brasileira no alcance dos encalços da macropolítica vigente. Sua arte se concentra na micropolítica e no seu potencial propulsor de mudanças/provocações sociais, bem como se utiliza do site specific como ferramenta articuladora com a performance arte.

Larissa Batalha
Artista/Bióloga. Passarinha o traduzir memórias, conversas e partilhas em convergência com apropriações científicas em diversas linguagens. Produtora/idealizadora do Ateliê Migratório. Produtora do Coletivo Absolutamente Ninguém. Integrante do grupo Local: Estudos, Pesquisas e Ação em Artes Visuais e Performance, sob tutoria de Waléria Américo.

Layla Fontenele
MAGAFOITA é artista visual e bota o seu através de desenhos, fotografias e audiovisual. Pelas suas perambulâncias nos espaços, realiza trabalhos/pesquisas sobre gênero, sexualidade, feminismos e ato político na rua. Desenvolve arte urbana por meio de lambe-grudes. Em 2019, participou da micro-residência ATERRARFOGO, em parceria com a Sala Vazia Residência e integrou a Exposição Mostra o Teu, na Carnaúba Cultural.

Leonardo Câmara
Pesquisador e realizador em audiovisual, é graduado Publicidade e Propaganda pela UFC. Integrou a quarta turma do Curso de Realização em Audiovisual da Vila das Artes. Atualmente integra a coordenação do projeto de formação audiovisual Cinema no Brejo – Laboratório Rural de formação e experimentação audiovisual, realizado em Baturité. Pesquisa as interseções entre cinema, arte e educação e metodologias de criação coletiva.

Levy Freitas
Pesquisador, artista e geógrafo. Mestre em Geografia/UFRN e membro do Lab. Artes Visuais da Escola Porto Iracema das Artes. Desenvolve trabalhos em diálogo com espaço, paisagem, som, imagem e relações étnico-raciais.

Lívio do Sertão
Artista insurgente no Cariri, Lívio do Sertão transita entre mundos dis/u/t(r)óp[t]icos, enquanto lê Geraldo Urano sob juazeiros, barrigudas e cafés que se derramam Chapada abaixo. Bebe das águas sagradas da Batateira pra dar miolo a suas invencionices poético visuais. Como romeiro que é, segue caminhando em busca de novas graças e agradecendo as adquiridas.

Lucas Dilacerda
Artista e filósofo. Graduado e Mestrando em Filosofia na UFC. É coordenador do Grupo de Estudos em Estética e Filosofia da Arte; do Grupo de Estudos Guerras do Contemporâneo; do Laboratório de Arte Contemporânea e do Grupo de Estudos em Arte e Decolonialidade. É integrante do Laboratório de Artes e Micropolíticas Urbanas. Participou de diversas exposições e foi vencedor do 70º Salão de Abril.

Marcella Elias
Artista visual multimídia, atua nos meios de fotografia, vídeo e cinema. Formada em Comunicação Social e cursando especialização em Cinema. Seu ensaio fotográfico Elisa participou de exposições coletivas, dentre elas, no Museu da Cultura Cearense. Fez a direção de fotografia do curta-metragem Grilhões. Sua pesquisa atual – Mulheres Invisíveis – inclui uma instalação que gira em torno do feminino e de dar visibilidade a histórias de mulheres.

Matheus Dias / MDIAS PRETO
Artista visual que trabalha com fotografia, vídeo, colagem e design gráfico. Busca tensionar questões de raça, corpo, gênero e LGBTQI+. Atualmente permeia entre si e seu heterônimo MDias Preto, artista contemporâneo que trabalha mais com a arte expandida, utilizando as cores como meio de criação de um universo paralelo.

Milena Fernandes
Sol em gatinha, ascendente em sardinha. Artista-docente-pesquisadora diretamente de Caucaia. Com as artes visuais, atua principalmente como quadrinista e ilustradora. Atriz e palhaça, também encontra no teatro e na palhaçaria uma ligação de afeto e esforço. Artista multimídia, desenvolve pequenos projetos audiovisuais independentes.

Núbia Agustinha
Artista/professora/pesquisadora. Graduada em Artes Visuais pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – (IFCE) e Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Teve formação inicial em Artes Visuais pelos cursos livres do Instituto Dragão do Mar de Arte e Indústria Audiovisual do Ceará. No campo das Artes Visuais, atua com gravura no campo expandido, instalação e performance.

plantomorpho
Natural de Fortaleza-Ceará. Formado em Artes Visuais pela UFRB, pesquisa afinidades entre arte e biologia, construindo relações simbólicas que evidenciam processos e estruturas biológicas através do desenho e do bordado. Sua obra perpassa ainda por temáticas como mito, memória, corpo e narrativas pessoais. Realizou exposições individuais e coletivas em Cachoeira (BA), Britânia (GO) e Fortaleza.

Rodrigo Colares
É jornalista, músico e artista visual. Desenvolve AhaMuziKê – Inflexões e Reflexões sobre a Cena de Música de Fortaleza, busca narrativas e personagens messejanenses, investiga mudanças na paisagem da cidade e explora a manipulação de sintetizadores analógicos e digitais. Como músico, atua nas bandas Dronedeus, Fóssil, Missjane, Vitor C. e Micro-leão dourado.

soupixo
Artista caririense, tatuadora e uma das sócias na empresa Fatozero Produções Culturais. Aborda nos seus trabalhos reflexões sobre o corpo, memória, questões de gênero e raciais. Assumiu vários heterônimos além do seu nome próprio, e o alter ego Suelí, que constrói em colaboração com Lívio do Sertão. Hoje soupixo, onde cabem todas essas mulheres que já foi e que permanecem vivas dentro de si.

Thomas Saunders
É bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário 7 de Setembro (UNI7). Mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor Universitário Substituto na Graduação (Licenciatura) de Artes Visuais (Uece-FECLI); Graduando em Filosofia (Licenciatura) pela Uece e artista visual independente.

Victor Cavalcante
Victor Cavalcante é artista visual e designer. Estudante do curso de Licenciatura em Artes Visuais do IFCE e integrante dos coletivos Ateliê Migratório e Dê-Mão. Trabalha com experimentações em performance, pintura, desenho, bordado, fotografia, arte urbana, audiovisual e teatro. Pesquisa a sua relação com masculinidades, afetos, sentimentos, ativismo e política.

Esther Alencarina
Lencari, artista visual, não atriz, fortalezense, um corpo morto vivificado, graduanda em Comunicação Social. Pesquisa a pintura acrílica e repensa as relações de processo e produto tomando as artes plásticas como performance, a partir de composições em tempo real, action painting e performance art. Hoje a pesquisa se desenvolve no sentido ritualístico, a pintura como adoração e contato com o Divino [o lugar santo], sendo a criação abstrata dependente dos acontecimentos espirituais da performance.

Mychel Távora
Artista visual. Possui algumas idéias medíocres que registra e as disfarça de excelências No final dos anos 80, publica fanzines de histórias em quadrinhos, colagens e ilustrações. No período de 1992 a 1994, publicou HQs nas edições do grupo cearense Seres Urbanos. Em 2009, ingressa no coletivo Monstra e participa de várias exposições coletivas. Em suas obras procura retratar ironias, frustrações e banalidades do cotidiano, utilizando a própria experiência e memórias afetivas.

Sobre a Escola
O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO
O quê: Porto Iracema das Artes apresenta Rotas de Criação da Temporada Formativa das Artes Visuais
Quando: 21 a 25 de outubro, das 18h às 21h
Onde: Auditório do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema)

>> Segunda-feira, 21 de outubro
Rotas de Criação – Temporada Formativa Lab Artes Visuais
Com Lucas Dilacerda, Ana Paula Vieira, Mychel Távora, Rodrigo e Leo Câmara
18h às 21h > Auditório do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema) > Gratuito

>> Terça-feira, 22 de outubro
Rotas de Criação – Temporada Formativa Lab Artes Visuais
Com Jean dos Anjos, David Felício, Levy Freitas, Charles Lessa, Matheus Dias/ MDIAS PRETO e Marcella Elias
18h às 21h > Auditório do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema) > Gratuito

>> Quarta-feira, 23 de outubro
Rotas de Criação – Temporada Formativa Lab Artes Visuais
Com Beatriz Benitez, Bárbara de Moira, Jefferson Skorupski, Layla Fontenele, Lívio do Sertão e Larissa Batalha
18h às 21h > Auditório do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema) > Gratuito

>> Quinta-feira, 24 de outubro
Rotas de Criação – Temporada Formativa Lab Artes Visuais
Com Thomas Saunders, Daniel Neves, plantomorpho, Esther Alencar, Carliane Menezes e Gabi Trindade
18h às 21h > Auditório do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema) > Gratuito

>> Sexta-feira, 25 de outubro
Rotas de Criação – Temporada Formativa Lab Artes Visuais
Com Beatriz Gurgel, Victor Cavalcante, Milena Fernandes, Núbia Agustinha, Soupixo e Delano Gurgel Queiroz
18h às 21h > Auditório do Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema) > Gratuito

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Glauber Sobral
Publicado em 18/10/2019