Porto Iracema recebe oficinas e palestras do Abstrata – Festival Internacional de Videomapping

A primeira das atividades realizadas na Escola acontecerá em 20 de novembro, um dia antes do início oficial do evento

O Porto Iracema das Artes recebe oficinas e palestras da primeira edição do Abstrata – Festival Internacional de Videomapping, que será realizado a partir do dia 21 de novembro em vários espaços de Fortaleza. Um dia antes do início oficial do evento, no dia 20, a escola recebe palestra com o VJ Spetto, a partir das 19h, no Estúdio de Audiovisual da Escola. A entrada é gratuita.

Já nos dias 21 e 22, a Escola recebe uma Oficina de Videomapping com VJ Optika, da Colômbia, das 14h às 17h30min. São 10 vagas e as inscrições serão por ordem de chegada, respeitando o limite do espaço. Na quinta-feira, 21, às 19h, Caio Fazolin, de São Paulo, faz uma palestra junto com VJ Eletroiman, da Espanha. Serão abordados aspectos da cena nacional e internacional de artes projetáveis. A atividade acontece no Estúdio de Audiovisual e é aberta ao público.

Na sexta-feira, dia 22, às 19h, o cineasta cearense Alexandre Veras vem ao Estúdio de Audiovisual do Porto falar sobre sua experiência com videoarte e arte urbana. Entrada gratuita.

O evento acontece até o dia 23 deste mês e tem a proposta de inspirar, experimentar, ocupar, ressignificar e transformar a cidade por meio da exposição de artes projetáveis em espaços públicos de Fortaleza. Para além das formações realizadas na Escola, também haverá projeções de imagens, instalações, performances audiovisuais e shows com artistas que dialogam com o conceito do evento no Teatro São José, Praça do Cristo Redentor e Ponte Velha. Entre esses artistas, o cantor, compositor, produtor musical, sonoplasta e DJ Benjamin Arquelano, ex-Lab Música 2018 do Porto Iracema das Artes. Ele se apresenta no Teatro São José, dia 21, às 23h, junto com Uirá dos Reis. A programação de encerramento também merece destaque, será feito videomapping coletivo na Ponte Velha (Poço da Draga) durante o show musical da cantora Luiza Lian (SP).

Mais informações sobre o festival estão disponíveis no Instagram do evento. Confira AQUI.

Sobre os artistas e palestrantes 

VJ Spetto

Atua há mais de 15 anos como VJ. Fundador dos United VJs, grupo internacional de VJs baseado em São Paulo e Lisboa e que conta com integrantes de diversos países. Criou a plataforma VJ University, voltada ao ensino e treinamento de técnicas artísticas. Premiado na Alemanha e na Áustria com o filme Hysteria, para Fulldomes. Especialista em Large Scale Projections, seus Videomappings conquistaram edifícios de mais de uma dezena de países em diversos continentes. Em 2010 trouxe o VJ Torna ao Brasil, campeonato mundial de VJs. Em 2011 projetava na estação de trens Nyugati em Budapest, projeto arquitetônico de Gustave Eiffel. Em 2012 esteve à frente do videocenário do programa Fátima Bernardes. Em 2013 projetou no prédio da CIA em Washington. Em 2014 foi a vez do antigo prédio do Mappin em São Paulo. Trabalhou com óperas e peças clássicas realizando visuais para ambos tipos de arte erudita.

Caio Fazolin

É artista audiovisual, programador, produtor cultural, e VJ (Micra). Desenvolve trabalhos na intersecção da arte e da tecnologia. Performances audiovisuais e instalações interativas são o foco principal de sua atuação, produzindo inúmeras instalações e intervenções por todo o Brasil. Como artistas convidado, já passou por importantes festivais de novas mídias como: On_Off, FAD, Mostra URBE, Live Cinema, Visualismo, Eletronika, Festival Amazônia Mapping e Multiplicidade. Também atua como educador por meio de aulas e workshops de programação computacional para artistas. Colabora constantemente com outros artistas na realização de trabalhos de arte mídia.

VJ Eletroiman

Reside em Barcelona (Espanha) há muitos anos. NAsceu em Minas Gerais e é um dos artistas mais premiados do Brasil por seu trabalho com videomapping, projeções em larga escala que ocupam prédios urbanos com imagens em movimento. Premiado em festivais da Costa Rica, Chile, Rússia, México, Itália, Hungria e Turquia, Cançado pesquisa e cria mappings há 8 anos. Ele é o coordenador do TkLab, grupo de experimentação visual do coletivo Telenoika e é um dos fundadores do Darklight Studio. Seu trabalho estabelece um diálogo com o público e apresenta um universo autêntico e complexo de ícones construídos a partir de uma linguagem que mistura vídeo com outras técnicas, como fotografia, desenhos, animações em 3D e 2D.

VJ Optika

É Laura Ramirez, uma amante de artes visuais dedicada a dirigir e produzir projetos visuais ao vivo e peças experimentais para marcas comerciais, exposições de arte e apresentações acadêmicas em todo o mundo. Ela produz a si mesma e hospeda seu trabalho sob o nome de “Optikal Ink Lab”, seu laboratório de AV e etiqueta. Depois de muitos anos trabalhando em publicidade e TV como cineasta / produtora, ela encontrou em 2008 a arte baseada em projeção e luz de vídeo e começou a desenvolver performances e instalações ao vivo e a dirigir projetos de mapeamento de vídeo. Laura também trabalhou como VJ em vários festivais e eventos renomados na América do Sul, EUA, Paris, Berlim, Bogotá, NY, Budapeste e Barcelona, Japão e Finlândia, dentre outros.

Alexandre Veras

É realizador em audiovisual e fundador da ONG “Alpendre – Casa de Arte, Pesquisa e Produção”, na qual coordenou o Núcleo de Vídeo, os projetos de formação e foi corresponsável pela curadoria do núcleo de Artes Plásticas, que realizou intervenções com artistas de todo o país. Trabalha com vídeo desde 1989 e tem desenvolvido intensa atividade como professor de vídeo, trabalhando com oficinas de vídeo-arte, documentário, videodança, história e teoria do filme experimental. Vem desenvolvendo pesquisas e produções em videoarte, videodança, imagens projetadas e colaborado em projetos de vídeo e videoinstalações com diversos artistas. De suas produções, destacam-se As Vilas Volantes – O Verbo Contra o Vento e Linz – Quando Todos os Acidentes Acontecem.

Sobre Videomapping
Videomapping é a técnica de projetar imagens especialmente pensadas para uma superfície específica. Também chamado de “projeção mapeada”, o videomapping precisa de verdadeiras esculturas, de preferência compostas por objetos ou superfícies irregulares, para receber a projeção. Com um software de videomapping conectado no projetor, é possível se recortar o feixe de luz projetado na superfície e, assim, se faz o mapeamento da superfície e a projeção específica na área desejada. A introdução da perspectiva na projeção permite que a imagem encaixe perfeitamente no objeto que a recebe. Desse modo, o videomapping tem a capacidade de transformar qualquer superfície numa tela de projeção.

Sobre o Festival
O Abstrata – Festival Internacional de Videomapping insere Fortaleza e o Ceará na rota dos festivais artísticos internacionais das artes digitais. A realização é da Misteria Mapping com patrocínio da Budweiser / Ambev, apoio cultural da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult-CE), a partir do IX Edital Mecenas do Ceará, além de apoio da CEGÁS – Companhia de Gás do Ceará e do Teatro Municipal São José / Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (SecultFor). Produção de Free Lancer Producções e TEMBIÚ – Alimento de Alma.

Sobre a Escola
O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço:
O quê: Porto Iracema recebe oficina e palestras do Abstrata – Festival Internacional de Videomapping
Quando: 20, 21 e 22 de novembro
Onde: Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema)
GRATUITO

 

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite
Publicado em 20/11/2019