Integrantes do Preamar de Artes Cênicas 2017 são os convidados da próxima edição do Afluentes

Foto: Joyce S. Vidal

Os artistas falarão sobre o espetáculo “Além aquém daqui”, desenvolvido naquele ano. O evento será precedido pela liberação da filmagem da produção, entre os dias 28 e 30 deste mês.

Inspirado em obras de Fiodor Dostoiévski, Fernando Arrabal e Erasmo de Rotterdam, o espetáculo “Além aquém daqui”, desenvolvido no Preamar de Artes Cênicas 2017, indaga sobre a utopia no Brasil contemporâneo. Maria Vitória, Ícaro Eloi, Juliana Maria, Lucas Limeira e Helder de Pádua, integrantes do projeto, se reunirão novamente no dia 31 de agosto, a partir das 15h, para discutir a produção em mais uma live do “Afluentes Artes Cênicas”.

O evento, que acontecerá no Youtube e Facebook do Porto Iracema, será precedido pela liberação da filmagem do espetáculo, por meio do site da Escola, das 15h do dia 28 de agosto até as 15h do dia 30 deste mês. O acesso ao espetáculo está disponível AQUI.

 

Além Aquém Daqui (2017) from Escola Porto Iracema das Artes on Vimeo.

Trazendo papéis femininos como grande força do espetáculo, a obra foi desenvolvida a partir de três provocações para indagar sobre a utopia no Brasil dos dias atuais. Involuntariamente, coube às mulheres dar o tom da peça, abordando a injustiça, questionando o que é a loucura e denotando a força presente no ser mulher. A live discutirá as características do trabalho, os processos criativos durante a formação e seus desdobramentos desde 2017.

Promovido pelo Porto Iracema, o Afluentes é um momento de reencontro entre artistas-pesquisadores e tutores dos Laboratórios, professores e alunos dos Cursos Básicos, Cursos Técnicos e do Programa de Fotopoéticas. Realizado através de uma plataforma aberta que propicie e valorize a interação com o público, a atividade disponibiliza, anteriormente, referências sobre os projetos e os temas que motivam as conversas.

SINOPSE 

Foto: Joyce S. Vidal

“Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar”. (Eduardo Galeano)

“Uma vida precisa de utopia e amor como de água e pão, sexo e trabalho?” (Ângela Lilhares)

“Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã” (Victor Hugo).

O espetáculo Além Aquém Daqui foi desenvolvido a partir dessas três provocações. Os quatro quadros, criados em processo colaborativo, buscaram ainda inspirações em obras de Fiodor Dostoiévski, Fernando Arrabal e Erasmo de Rotterdam para indagar sobre a utopia no Brasil dos dias atuais. Os papeis femininos são a grande força do espetáculo. Involuntariamente, coube às mulheres dar o tom da peça. Seja para abordar a injustiça, questionar o que é a loucura ou denotar a força presente no ser mulher, são essas personagens que passam na frente e dizem para onde vamos caminhar com Além Aquém Daqui. São sete jovens atores, dois figurinistas, dois cenógrafos, uma diretora e o desejo muito claro de dizer que a utopia é essencial para que não tenhamos uma existência apática diante da nossa vida e diante dos nossos sonhos.

DIREÇÃO E ORIENTAÇÃO DRAMATÚRGICA
Maria Vitória

DRAMATURGIA
Ícaro Eloi

ELENCO
Anderson Marques
Ícaro Eloi
Juliana Maria
Lucas Limeira
Luiza Nobel
Yasmim Ferrer
Ygor Sylva

FIGURINO
Helder de Pádua
Renato Ferreira

CENOGRAFIA
Rodrigo Frota
Maria Vitória
Edite Sousa
Diego Brito

ILUMINAÇÃO
Fábio Oliveira

ILUSTRAÇÕES
Hélder de Pádua

PRODUÇÃO
Coordenação Cursos Básicos em Artes Cênicas

Sobre Maria Vitória

Se dedica ao fazer teatral desde a década de 1990. Tem conquistado seu espaço no cenário artístico cearense como atriz, bonequeira, diretora e dramaturga. Estreou como atriz no espetáculo A Alma Afoita da Revolução do Grupo Independente de Teatro Amador – GRITA, um dos grupos teatrais mais atuantes da cidade de Fortaleza entre as décadas de 1970, 1980 e 1990, um grupo que se destacou pela pesquisa estética que desenvolvia e pela militância política durante o período da Ditadura Militar. Maria Vitória inicia sua trajetória no Grupo Formosura de Teatro (teatro de atores e bonecos) e teve passagem pelo Circo Tupiniquim (teatro de bonecos), Projeto Cadafalso (performance, teatro e literatura), Grupo Terceiro Corpo (teatro e dança), shows cênicos-musicais com o artista Gustavo Portela, além das produções independentes. Desde o ano de 2003 investiga possíveis treinamentos para o ator-criador e atualmente desenvolve uma pesquisa a partir do diálogo entre teatro, dança e teatro de bonecos. Os resultados de suas pesquisas são compartilhados através dos grupos com os quais teve ou tem contato, por via de cursos e oficinas de teatro, trabalhos acadêmicos e através de seus espetáculos teatrais. Durante mais de duas décadas, Maria Vitória, vem se dedicando de forma ininterrupta ao teatro. Sempre em uma atitude de resistência de ter como única atividade profissional o fazer teatral.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, ligada à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

O quê: “Integrantes do Preamar de Artes Cênicas 2017 são os convidados da próxima edição do Afluentes”
Quando: segunda-feira (31), a partir das 15h
*Liberação da filmagem do espetáculo entre sexta-feira (28), às 15h, até as 15h de domingo (30).
Onde acessar: YouTube e Facebook da Escola Porto Iracema das Artes

Assessoria de Comunicação Porto Iracema das Artes | Rafaela Leite
Publicado em 21/08/2020