MOPI de Artes Visuais apresenta publicação coletiva de oito pesquisas do laboratório nesta sexta, 04

Evento acontece, às 19h, nas redes do Porto Iracema. Esta é a 8° edição da Mostra de Artes, maratona artística que encerra o período letivo com uma grande mostra dos trabalhos realizados por alunos e artistas que integraram os processos formativos

Oito pesquisas do Laboratório de Artes Visuais do Porto Iracema serão apresentadas em uma publicação coletiva nesta sexta-feira, 4 de junho, às 19h. O evento acontece no Youtube da Escola, com acessibilidade em Libras, e integra a 8° edição da Mostra de Artes, momento que encerra o período letivo na instituição e que segue pelo mês de junho com outras atividades e apresentações.

A publicação coletiva é uma novidade na etapa de finalização dos processos formativos da Escola. Dhiovana Barroso, que integra o coletivo Terroristas del Amor, explica que a ideia surgiu como demanda dos próprios artistas do Laboratório, que sentiram a necessidade de mostrar ao público os processos pelos quais passaram nesta edição tão diferente. ”Passamos por diversos impasses durante os sete meses: a própria pandemia, dias de falta de conexão, a distância entre nós e os tutores que não puderam estar fisicamente na cidade. Tudo isso afetou nossos projetos, nos fazendo, muitas vezes, mudar de direção”, revela.

Projeto “Arqueologia de Luzes Negras”, de David Felício e Jorge Silvestre

Dessa forma, a publicação nasce da vontade de não só falar sobre esse processo, mas também mostrar e documentar as importantes mudanças que ocorreram nos projetos e nos artistas. ”Participamos de um Laboratório de Artes Visuais histórico, feito com a curadoria de pessoas negras e formado, em sua maioria, por pessoas negras LGBTQIA+”, pontua a artista. Dhio conta ainda que, para o coletivo composto também por Marissa Noana, a publicação é ”uma forma de se fazer presente na história, de marcar e mostrar quem somos e o que fizemos”.

Coletivo Terroristas del Amor apresenta pesquisa ”Como construir nosso próprio país”. Imagem: Terroristas del Amor.

A artista Sy Gomes, que desenvolveu o projeto ”Travestis são como plantas” e está à frente da ideia da publicação, também ressalta essa nova forma de mostrar os trabalhos como alternativa para os encontros online. ”Todo mundo já estava cansado desse formato, ninguém queria fazer uma live para cada projeto. A gente decidiu coletivamente produzir uma publicação. Desde o começo ela foi pensada em um formato mais radial, não sendo um livro fotográfico ou algo que fosse um catálogo. É uma publicação com espírito próprio”, explica Sy. Cada projeto tem seu espaço, onde artistas desenvolveram os textos de apresentação, relatos, fotografias, digitalização, entre outros.

Projeto “Historicizando o invisível”, de soupixo.

A artista Bichantirracista (Rodrigo Lopes) foi convidada para desenvolver o projeto gráfico da publicação junto com os artistas do Lab Artes Visuais. ”Ela é intensamente ligada a essa proposição das publicações. Recentemente fez uma publicação para uma obra da tutora Castiel Vitorino e ficou incrível. Foi muito interessante convidá-la”, comenta Sy. O lançamento da publicação acontece na sexta, 4, mas até o fim do mês de junho será disponibilizada para download. O coletivo trabalha com a perspectiva de que ela possa vir a ser também impressa. ”A intenção dessa publicação é efetivar a memória”, conclui Sy Gomes.

 

Sy Gomes: artista visual, cantora, compositora, performer e produtora cultural. (Foto: Thais Mesquita).

Confira a lista de projetos que foram desenvolvidos no Lab Artes Visuais 2020-21 e compõem a publicação:

Projeto “Plantomorfias: uma coleção de sensibilidades entre corpo e natureza”, de Henrique Braga.
  • Como construir nosso próprio país, do coletivo Terroristas del Amor;
  • Plantomorfias: uma coleção de sensibilidades entre corpo e natureza, de Henrique Braga.
>> Tutoria de Rosana Paulino.
Projeto “na barriga do monstro”, de Vita da Silva e Charles Lessa.
  • na barriga do monstro, de Charles Lessa e Vita da Silva;
  • Historicizando o invisível, de soupixo.

>> Tutoria de Elton Panamby.

 

Projeto “Língua Ferina: artista retirante e a fertilização da imagem”, de Maria Macêdo. Foto: Maria Macêdo
  • Arqueologia de Luzes Negras, de David Felício e Jorge Silvestre;
  • Língua Ferina: artista retirante e a fertilização da imagem, de Maria Macêdo.

>> Tutoria de Ana Lira.

Projeto Encantadas: saberes mágicos em lugares sagrados, de Eliana Amorim. Foto: Maria Macêdo
  • Encantadas: saberes mágicos em lugares sagrados, de Eliana Amorim;
  • Travestis são como plantas, de Sy Gomes.

>> Tutoria de Castiel Vitorino.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há sete anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

SERVIÇO

O quê: MOPI de Artes Visuais apresenta publicação coletiva de oito pesquisas do laboratório nesta sexta, 4
Quando: 04 de junho, sexta-feira, às 19h
Onde: Youtube do Porto Iracema, gratuito e com acessibilidade em Libras

Equipe de Assessoria de Comunicação do Porto Iracema das Artes | Texto: Gabriela Feitosa | Supervisão: Pâmela Soares e Raphaelle Batista | Publicado em 01/06/2021